quadrinhos

Zé Limeira e a Filosomia 001 - Bolinho de Carne Seca by Davi Sales Studio

Baixe a história aqui:

Em CBR (você vai precisar instalar o CDISPLAY para ler este arquivo) (baixe aqui)
Em PDF

Este post ajuda a compreender melhor a história, suas referências e elementos subliminares, alguns itens relatados aqui podem ser considerados "SPOILER", portanto leia a história antes de ler este material.

Esta obra não é uma reprodução fiel de quem possivelmente foi Zé Limeira e nem do Zé Limeira descrito na obra de Orlando Tejo (Zé Limeira, O Poeta do Absurdo). É uma interpretação pessoal da personagem com toques de aventura e muito surrealismo.
Para conhecer mais de Zé Limeira use os links abaixo:

Zé Limeira no Wikipedia
Documentário O Homem que Viu Zé Limeira no Youtube
Documentário Na Estrada com Zé Limeira no Youtube
 

Na historia - Bolinho de Carne Seca

Página 2 da história
 

As últimas palavras do Balão Fazem referência a um conto de Guimarâes Rosa - A hora e a Vez de Augusto Matraga - no Livro Sagarana.
Veja o Filme no Youtube
Ouça a Música composta por Geraldo Vandré para a trilha deste filme

Página 2 da história

O Primeiro quadro da página três tem uma venda com o nome de Zé Qualquer e Chica Boa, uma homenagem a dois poemas de Jessier Quirino, Parafuso de Cabo de Serrote (ouça no youtube) que descreve uma venda (budega) de interior e Zé Qualquer e Chica Boa (ouça no youtubr).
Neste mesmo quadro tem personagem figurante com um porca (mealheiro) na mão, este figurante faz referência ao personagem de Ariano Suassuna João Grilo no Alto da compadecida, que faz diversas estripulias para conseguir a porca do dote de casamento. Os aspectos físicos são inspirados nos ator Matheus Nachtergaele Veja no youtube

Página 4 e 5 da história

pagina4e5_1.jpg

Entre as páginas 4 e 5 vemos estes balões que é parte inicial do dialogo narrado entre dois violeiros desafiantes na obra Desafio - Auto da Catingueira (ouça no youtube)

Página 5,6 e 7 da história

Estes balões tem versos atribuídos a Zé Limeira, você pode ouvi-los na interpretação de Vital farias no Youtube
Falcão também compôs e gravou uma música - Prodologicadamente - insperada nestes versos de Zé Limeira, ouça no Youtube.

Estas são as principais referências desta primeira história de Zé Limeira e a Filosomia.
Se você quiser fazer uma crítica, um elogio, sugestão ou qualquer outra coisa, deixe seu cometário ou nos envie uma mensagem pelo nosso formulário lá em cima.

Que tintas você usa? by Davi Sales Studio

Tem dias que eu fico buscando na minha cabeça lembranças que me ajudaram a traçar minha caminhada no mundo da ilustração. Penso nisso para tentar achar elementos que sejam, de verdade, úteis para quem quer trilhar no mundo da ilustração ou das artes plásticas.

 

Segue aqui um conselho artístico de cunho filosófico para você pensar um pouco e ver se serve para sua jornada como serviu para a minha.

 

Não lembro muito bem se foi em 1991 ou 1993, mas o certo é que fui as duas bienais internacionais de quadrinhos realizadas, nestes dois anos, no Rio de Janeiro. Numa dessas edições, tivemos a presença de Bill Sienkiewicz (Biu Sinquéviti), como ele mesmo nos ensinou a pronunciar o nome dele, que me trouxe bastante alívio e que terminou com os milhares de especulações de como se pronunciava aquela emaranhado de consoantes, ele fez uma palestra, uma das mais esperadas em toda a bienal.

Todos preparados e ansiosos para o momento. Bastava olhar ao redor e lá havia um monte de jovens ansiosos por absorver o máximo de informações desse grande artista dos quadrinhos.

 

Confesso que duas coisas me marcaram neste encontro:

 

A primeira que Bill não é uma das pessoas mais simpáticas, meio estrela e diria, uma leve boçalidade na maneira de falar. Nem de longe ele se compara com a simplicidade de Davi Mazzuchelli e Joe Cubert, que tive a oportunidade de conversar pessoalmente, Will Eisner, ví de longe, mas era uma pessoa muito simpática e de gentileza óbvia.

 

A outra foi uma coisa que ele disse que me acompanha até hoje.

Naquele momento o mundo digital nos quadrinhos e nas artes era só um embrião, sendo assim, todos ainda viviam imersos nas técnicas "analógicas". Lá pelas tantas, as perguntas foram abertas a platéia e um jovem aspirante, como eu e muito outros, perguntou: Que tintas você usa?

Bill Sienkiewicz respondeu: - Vermelho, amarelo, azul...

 

Não sei bem se ele queria ser pernóstico ou se ele realmente queria nos ensinar algo importante, de qualquer forma isso foi muito importante para mim. Pensei realmente qual a importância na marca da tinta que um artista “top” usa para um iniciante. Não que eu não tivesse interesse em saber, queria e queria muito, mas me convenci que existem muitas outras coisas antes e que naturalmente essas "tintas" cairiam na minha mão quando eu estivesse preparado para elas.

 

Deixo esse texto para que você faça as correlações no mundo de hoje. Aprenda o que todos aprendem desde a renascença e não se preocupe, as tintas cairão em sua mão, quando você estiver preparado para elas.

 

Abraço a todos e bom final de semana.

 

Ah! Não se esqueçam de curtir a página do facebook, aqui e visitar o blog, aqui